Dicas de apartamento fora do Brasil
26 de agosto de 2015
13 razões para escolher a Open
27 de agosto de 2015
Ver todos

Como é morar em uma homestay

Uma das maiores preocupações para quem vai morar fora é o lugar onde morar. São várias opções, mas, sem dúvida, uma das mais enriquecedoras e também mais em conta financeiramente falando é a casa de família (homestay). É um assunto delicado e este artigo foi pensado para ajudar o aluno a encarar o assunto de forma realista.

É possível construir uma relação verdadeiramente familiar na casa onde vamos morar fora do Brasil?

A resposta é afirmativa, entretanto, para que o relacionamento chegue a este estado tão profundo de amizade e confiança isso precisa ser construído pelo próprio aluno, explico:

Em primeiro lugar o comportamento na família brasileira (nas famílias latinas, de forma geral) não é o mesmo nas famílias de origem britânica ou alemã. Em segundo lugar, as famílias cadastradas costumam receber alunos de vários lugares do mundo, imagine se fossem se apegar afetivamente com todos como pai e mãe?

Importante dizer que embora o recebimento de estudantes represente uma ajuda financeira para essas famílias, não é um negócio no sentido pejorativo da palavra. Obviamente a família fará todo o possível para promover o bem-estar do aluno. Há todo um processo seletivo envolvendo a triagem da família, ou seja, não é qualquer família que consegue se cadastrar.

Só é importante ter todos esses conceitos em mente para se conscientizar que a parte afetiva do processo às vezes não se desenvolve de forma tão rápida.

Por experiência própria, inconscientemente, quando fui achava que a família onde ia ficar seria como a minha família daqui (a verdadeira!), mas isso não aconteceu de forma imediata, entretanto, com a convivência e com os laços de amizade e respeito que foram se formando posso dizer que consegui me tornar amiga de todos, a ponto da mãe da família passar horas conversando comigo quando eu me demiti de um emprego ruim…a ponto dela preparar apenas para me agradar os meus muffins preferidos (com blueberries!).

 CONSELHOS OPEN:

– Perceba a rotina da casa e faça o máximo para respeitá-la ou interferir o mínimo possível nela (ex.: nada de esquecer roupas na máquina de lavar ou de secar para que sua host precise tirá-las de lá para lavar as roupas dela).

– Cuidados com banhos demorados! (rsss)

– É de bom tom sempre se oferecer para ajudar nas tarefas que eles estiverem fazendo (ex.: preparação do jantar de Ação de Graças).

– Em ocasiões especiais como Natal, Dias das Mães, aniversários, etc, vai ser legal se você puder comprar alguma lembrancinha e mostrar que se importa com eles (não precisa ser nada caro, o gesto é o que mais importa!).

– É legal levar alguma lembrancinha para dar à família. Mais um vez, não precisa ser nada caso. Um presente que é bem interessante e eles vão apreciar é esses livros turísticos que falam sobre os costumes e regiões do Brasil e que tem bastante fotos (é muito fácil encontrá-los em inglês). Você ainda pode escrever uma dedicatória para a família. Se optar por presentes individuais, faz bastante sucesso levar: chinelos de dedo, camisetas do Brasil, cremes com ingredientes naturais, artesanatos, chocolates, doce de leite, etc…

– Se a família for “comer fora” e te levar, é sempre elegante se oferecer para pagar a sua conta, é possível que eles não aceitem, mas pelo menos você foi gentil em perguntar, ponto pra você!

– Se for bom cozinheiro, seria legal tentar preparar algum tipo de comida brasileira para eles experimentarem (sugestão que agrada: pãozinho de queijo, brigadeiro, etc…).

– Seja amável, respeitoso e comunicativo e sentirá uma grande emoção e orgulho de si mesmo quando for deixar a casa e ouvir que fará falta e que eles gostaram muito de você!!! Lembre-se você representa o nosso país lá fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *